Empresa

Nossa credibilidade foi conquistada com performance consistente, rígidos controles de risco e com sócios e clientes navegando sempre no mesmo barco.

A Vista Capital foi fundada em 2014 e erguida do zero, pela persistência de seus sócios, apaixonados pela atividade de pesquisa e gestão de investimentos. 

De lá pra cá, a confiança de nossos clientes – razão de orgulho e constante motivação para nós – elevou os recursos sob nossa gestão dos R$ 30 milhões iniciais para mais de R$ 1 bilhão. 

São parcerias construídas de forma cuidadosa e transparente, sempre recordando que a gestão de passivo é tão fundamental quanto a gestão de ativo para alcançar resultados vitoriosos.

A credibilidade conquistada é resultado de performance consistente, rígido controle de risco e boas políticas de governança. 

Os fundos geridos pela Vista ocupam lugar de destaque em suas indústrias. O resultado é fruto de nosso método de gestão, que vem sendo capaz de aproveitar os bons momentos e controlar perdas durante eventos e períodos de turbulência. 

Em nossa equipe, defendemos a diversidade porque ela é essencial para nossa capacidade de pensar de maneira diferente e inovadora. Economistas, engenheiros, advogados, administradores, matemáticos. Macroeconomistas e analistas de empresas. Estrategistas top down e investidores bottom up. É nossa vantagem competitiva manter um local de trabalho verdadeiramente transparente e participativo, onde as melhores idéias vençam.

Nossos controles de risco são rigorosos, foram testados em diversas ocasiões e se provaram funcionais e confiáveis. O objetivo principal é evitar perdas permanentes de capital. Não nos preocupamos com flutuações de curto prazo em preços ou cotas. Entendemos que essa é a definição do verdadeiro investidor de longo prazo.

Na Vista, sócios e clientes estão e sempre estiveram no mesmo barco. Nossos patrimônios pessoais e de nossas famílias estão investidos nos mesmos fundos de nossos clientes e representam uma parcela expressiva do total de recursos sob gestão.

Fazemos para nossos clientes exatamente o que fazemos para nós. Uma política de alinhamento eficaz para que todos estejam sempre atentos às melhores oportunidades e aos riscos incorridos.

Somos confiantes de que a combinação de investidores alinhados, motivação e retenção do melhor capital humano em nossa sociedade e adequada governança nos permitirão continuar entregando resultados expressivos para todos os nossos clientes.

Equipe

Diretor e Head de Análise de Ações

João Eduardo Lopes

Iniciou a carreira em 2004 na Angra Partners atuando na equipe de investimento responsável pela alienação das participações do II-FIP na Santos Brasil, Telemig Celular, Brasil Telecom e Metrô do Rio de Janeiro. Em 2010, trabalhou como analista de empresas na Leblon Equities. No retorno do MBA, em 2014, fundou a Vista Capital. Economista pela PUC/RJ e MBA em finanças e real estate pela Wharton Business School.
Diretor e Gestor

João Landau

Iniciou a carreira em 2005 no Banco Pactual, onde passou pelo Backoffice e Equity Research cobrindo setores de Óleo e Gás. Em 2008, juntou-se à equipe do Paineiras Investimentos, onde tornou-se sócio e Gestor Macro durante 6 anos até sair em 2014 para fundar a Vista Capital. Economista pela PUC/RJ.
Conselheiro

Persio Arida

Economista-Chefe

Alexandre Maia

Iniciou a carreira em 1999 na Unibanco Asset Management na área de pesquisa macroeconômica. Entre 2002 e 2014, foi economista-chefe e sócio da GAP Asset Management, funções que também exerceu na Kyros Investimentos entre 2014 e 2015. Antes de se juntar à Vista como economista-chefe, foi economista sênior da Gávea Investimentos entre 2015 e 2020. Mestre em Economia pela EPGE-FGV/RJ.
Administrativo

Alice Ramos

Trabalhou na Lecca Investimentos DTVM nas áreas de Gestão de Portifólio e Middle Office e Compliance (2009 – 2010). Antes disso, foi estagiária nas áreas de Educacional e Atendimento ao Cliente na Ágora CTVM. Formada em Administração pela PUC-RJ.
Co-Gestor

Arthur Braga

Iniciou sua carreira em 2006 no Banco UBS em Londres na mesa de Emerging Market Equity Derivatives. Em 2007, juntou-se ao Barclays Capital em Londres como trader na mesa de Structured Products, cobrindo Exotic Equity Derivatives & Fund Derivatives com foco no mercado Europeu. Em 2011, juntou-se ao banco Goldman Sachs em Nova Iorque, como trader e market-maker proprietário de Emerging Markets Equity Derivatives.
Em 2013, foi transferido para o escritório da G.S. em São Paulo para desenvolver o business local de Equity Derivatives. Em 2016, juntou-se à Stone Ridge Asset Management em NY, gestora especializada em Reinsurance, Alternative Lending e Volatility como trader e portfolio manager. Formado em Engenharia de Controle e Automação pela PUC/RJ, com duplo diploma no Institut National des Sciences Appliquées de Toulouse, na França.
Analista de Empresas

Bernardo Schoichet

Iniciou a carreira em 2015 na Turim Family Office & Investment Management na área de Controle Onshore. Em 2016, ingressou na Vista Capital. Engenheiro pela PUC/RJ.
Analista de Empresas

Deborah Margulies

Iniciou a carreira em 2017 na Pacífico Gestão de Recursos, onde passou pelas áreas de Risco e Operações. Ingressou na Vista Capital em 2018. Economista pela PUC/RJ.
Co-Gestor

Eduardo Baczynski, CFA

Iniciou a carreira em 2007 como economista na BNY Mellon Global Investments. Em 2008, juntou-se à equipe da Platina Investimentos como economista sênior. Entre 2010 e 2017 fez parte do time da Polo Capital como sócio e gestor. Posteriormente, passou pela ARX Investimentos (2017-2019), onde também foi gestor. Ingressou na Vista Capital em 2019. Economista pela PUC/RJ.
Analista Macroeconômico

Eduardo Brito

Iniciou a carreira na Vista Capital em 2018. Engenheiro pela PUC/RJ.
Operacional

Gabriel Monteiro

Iniciou sua carreira em 2019, como estagiário de análise de dados na GGP Family Office. Ingressou na Vista Capital em 2020. Graduando em Engenharia pelo CEFET/RJ, com passagens em finanças pela Universitá di Pisa e Oxford University.
Co-Gestor

Kaio Sartori

Iniciou a carreira em 2012 na Pacífico Gestão de Recursos, onde passou pela área de Risco. No mesmo ano juntou-se a equipe da Gap Asset onde foi gestor de câmbio e renda fixa por 5 anos. Ingressou na Vista Capital em 2017. Economista pelo IBMEC/RJ.
Operacional

Lucas Lima

Iniciou a carreira em 2017 na Kronos Asset Management, onde passou pela área de Risco. Em 2018, migrou para a Mongeral Aegon Investimentos como analista de Middle Office. Ingressou na Vista Capital no mesmo ano. Matemático pela FGV/RJ.
Analista Macroeconômico

Lucas Valente

Iniciou a carreira no Banco BBM, em 2016, na área de Análise Quantitativa de Crédito. Em 2017, juntou-se ao Middle Office da Vinci Partners. Ingressou na Vista Capital no mesmo ano. Engenheiro pela PUC/RJ.
Analista de Empresas

Luiz Guilherme Gama

Iniciou a carreira em 2012 no escritório Ferro, Castro Neves, Daltro e Gomide Advogados. No mesmo ano juntou-se a Vinci Partners, onde atuou no departamento jurídico e, depois, como analista de crédito. Em 2015, ingressou na Vista Capital. Advogado pela PUC/RJ e extensão em Finanças pelo COPPEAD-UFRJ.
COO / CRO

Manoel Savastano

Iniciou a carreira em 2004 no Backoffice de Crédito do Banco BVA. Em 2005, migrou para a Fiducia Asset Management como analista de Middle Office. Entre 2006 e 2009 trabalhou no Banco BBM e BBM Investimentos como analista de produtos e coordenador de Middle Office. Em 2010, juntou-se à Brookfield Financial, onde foi associado na área de Operações Estruturadas até 2014, quando ingressou na Vista Capital. Economista pela PUC/RJ.
Analista de Empresas

Miguel Galvão

Iniciou a carreira na Leblon Equities em 2009, onde ficou até 2015 como sócio e analista de empresas tanto de renda variável como private equity. Entre 2015 e 2016, empreendeu no setor de varejo, retornando ao mercado financeiro em 2017 pela Bozano Investimentos como analista de empresas. Posteriormente foi sócio e analista de renda variável na STK Capital, até ingressar na Vista Capital, em 2020. Economista pelo IBMEC-RJ.
Relação com Investidores

Natalia Levy

Iniciou a carreira em 2016 no Itau Asset Management. Em 2017, migrou para a área de operações da Rappi. Em 2018, foi analista na área de Treasury & Trade Solutions do Citigroup em Miami. Ingressou na Vista Capital em 2020. Economista pela UCLA.
Operacional

Pablo Salinas

Iniciou a carreira na EMBRAPA em 2015. Em 2017, juntou-se à Liber como chefe do departamento de Matemática. Ingressou na Vista Capital em 2020. Engenheiro e mestre em Engenharia pela PUC/RJ.
Relação com Investidores

Rodrigo Faveret

Iniciou a carreira em 2011 na área de Operações do Banco BTG Pactual. Em 2013, se juntou à equipe de gestão de renda variável da SPX Capital. De 2015 a 2018, foi analista comercial na ATG. Ingressou na Vista Capital em 2018. Economista pelo IBMEC/RJ.
Analista de Empresas

Victor Borba

Iniciou a carreira na BroadSpan Capital LLC em 2009. Em 2010, juntou-se à equipe de análise de empresas na Paineiras Investimentos. De 2011 a 2015, atuou como analista na Pacífico Gestão de Recursos. Depois do MBA, trabalhou com venture capital na Carta (NY), até ingressar na Vista Capital em 2019. Engenheiro pela PUC/RJ e MBA pela INSEAD.
A presente instituição aderiu ao código de ANBIMA de Regulamentação e Melhores Práticas para os fundos de investimento.
As informações contidas neste site são de caráter exclusivamente informativo e não representam distribuição de cotas. A Vista Capital não comercializa nem distribui cotas de fundos de investimento ou qualquer outro ativo financeiro. Fundos de investimento não contam com a garantia do administrador, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos – FGC. A rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. Para avaliação da performance dos fundos de investimento, é recomendável uma análise de período de, no mínimo, 12 (doze) meses. Ao investidor é recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e do regulamento dos fundos de investimento ao aplicar seus recursos. Estes fundos utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento; tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em significativas perdas patrimoniais para seus cotistas, podendo inclusive acarretar perdas superiores ao capital aplicado e a consequente obrigação do cotista de aportar recursos adicionais para cobrir o prejuízo dos fundos.